• Posted by : Dark Zoroark 11 de set de 2016

    Mesmo sendo fraca, eu posso ficar mais forte se me esforçar.

    Cidade de Aquacorde, 16 de outubro de 2016.

    Já havia amanhecido, mas ainda estava bem cedo, a maioria das pessoas ainda estavam em suas camas dormindo, mas Katherine estava eufórica com o treinamento e acordou bem cedo. Ela estava no mesmo cômodo aonde havia batalhado contra Calem no dia anterior, treinava sozinha com seus pokémons. Foi então que as crianças do dia anterior entraram e começaram a assistir.
    Goomy e Piplup usem Bubble! – ordenou Katy.
    Os dois pokémons cuspiram diversas bolhas de frente de um para o outro, assim fazendo elas se chocarem e estourarem.
    Uau! – comentou uma das crianças.
    Até então Katy achou que estivesse sozinha, mas quando ouviu as vozes das crianças percebeu que estava errada. Eram três crianças, duas meninas e um menino de cabelos negros, uma menina era ruiva e a outra era Mirai, a garota que possuía um chaveiro do Bidoof. Katy parou de batalhar e foi até as crianças.
    Bom dia! Estão gostando de assistir? – indagou ela com um belo sorriso no rosto.
    Sim, seus pokémons são bem legais. – respondeu a garota ruiva.
    Digo o mesmo. – disse o menino.
    Muito obrigada… Keiko e Jean, certo?
    Ela lembrou de mim, tenho certeza que ela se apaixonou. – comentou Jean.
    Cale-se Jean, você sabe que ninguém se apaixonaria por você. – contestou Keiko.
    Está com ciúmes, Keiko? – Jean sorria maliciosamente.
    Jean, idiota! – berrou Keiko.
    As duas crianças começaram a discutir, mas Katy tentou pará-las:
    Parem com isto. Vocês já são bem crescidinhos para ficar discutindo por besteiras.
    As crianças pararam e olhando para o chão se desculparam.
    E você, Mirai, gosta de batalhas? – indagou Katy.
    Mirai estava encolhida no canto, lendo um livro, ao ouvir Katy fechou o livro.
    Eu amo batalhas! Um dia quero ser uma treinadora bem forte. – sorriu Mirai.
    Não acredito que a Mirai falou com alguém tão fácil assim. – comentou Keiko.
    Não sabia que a Mirai ficava tão bonita sorrindo, será que tenho alguma chance com ela. – comentou Jean que sentiu uma cotovelada na barriga, era Keiko que não gostou do que seu amigo disse.
    Tenho certeza que se você treinar bastante e se esforçar vai conseguir. – Katy respondeu Mirai.
    Eu espero. – sussurrou Mirai para si mesma.
    O que você disse? – indagou Katy.
    Não foi nada. – respondeu Mirai encarando o chão.
    Neste momento, mais uma pessoa entrou naquele cômodo, era Serena. Ela viu Katy conversando com as crianças e sorriu.
    Jean, Keiko e Mirai, está na hora de vocês se arrumarem para escola.
    Droga, achei que conseguiria filar aula hoje. – reclamou Jean. Foi então que recebeu outra cotovelada na barriga.
    Já estamos indo. – anunciou Keiko. – Até mais! – Ela e Keiko saíram do cômodo.
    Mirai também caminhou para saída e em frente da porta disse:
    Tchau, Katy! – Ela então saiu.
    Naquele cômodo, havia sobrado apenas Serena e Katy.
    Treinando desde cedo, isto é bom. Mas eu recomendaria, que não gaste tanta energia pela manhã, se não vai se cansar bastante. – sugeriu Serena.
    É que eu estava muito ansiosa. – disse Katy sem jeito.
    Eu te entendo. – sorriu Serena. – Mas, as vezes, é melhor controlar esta ansiedade, se não pode acabar se machucando.
    Katy assentiu.
    Já que acordamos cedo, do que acha se eu te dar alguns conselhos sobre a liga e os ginásios?
    Por favor, me ensine. – Katy a reverenciou.
    Não precisa dessa formalidade, se levante e vamos para outro lugar, onde podemos sentar e tomar algo.

    Serena levou Katy para um grande salão onde havia várias mesas, ela sentou em uma e a garota furisode sentou na mesma mesa. Lá havia xícaras de café, Serena frequente tomava goles.
    Aqui, será um lugar melhor para conversarmos. – disse Serena. – Me diga, o que sabe sobre a liga de Kalos?
    Eu sei que você precisa de oito insígnias para poder participar dela, e depois poderá enfrentar a atual campeã batalhando pelo seu posto. – respondeu Katy. – Só sei sobre isto.
    Apenas isso! – Serena quase cuspiu o café que bebia. – Você não me disse que morou muito tempo no ginásio de Laverre, achei que soubesse mais.
    É que eu não sou muito estudiosa. – Katy riu de forma sem graça.
    Teremos que mudar isto. – Serena aposentou a xícara na mesa. – Acho que vou ter que explicar tudo. O que você disse está certo, mas com algumas ressalvas. A Liga de Kalos é uma liga diferenciada e reconhecida em vários lugares no mundo, uma das suas principais diferenças é o tempo em que ela ocorre, a maioria das ligas pokémon ao redor do mundo ocorrem todo ano, ou a cada 2 anos, mas a liga de Kalos acontece apenas a cada quatro anos.
    Isso tudo!
    Sim, a última liga ocorreu em 2015, no ano passado, a próxima ocorrerá em 2019, daqui 3 anos.
    Mas isto é muito tempo.
    Pode ser, mas é isto que transforma a liga de Kalos numa das maiores do mundo, como ela acontece apenas uma vez a cada 4 anos, é muito comum ter diversos treinadores poderosos de todas as regiões. Mas não ache que 4 anos é um tempo longo para recolher oito insígnias, muitos treinadores não conseguem este feito, afinal os ginásios de Kalos acabam sendo bem rigorosos, principalmente na reta final. Katherine, já ouviu falar da mega evolução?
    Sim, são uma forma de evolução momentânea que supera a evolução dar muita força ao pokémon mega evoluído. Para ela ocorrer é necessário uma MegaStone e uma KeyStone, além de um forte vínculo entre o treinador e o pokémon.
    Exatamente, mas a mega evolução não é algo tão comum de se ver, mesmo fazendo parte do conhecimento geral são pouco treinadores que alcançam este nível de força. Kalos é uma das regiões onde mais se pesquisa e encontram as megastones e as keystones, por causa disto é mais comum encontrar este tipo de evolução aqui, mesmo ainda sendo raro. De qualquer forma em Kalos, a maioria dos lideres de ginásio possuem mega evoluções e são permitidos ao usar se acharem necessário. Claro que os líderes nunca usaram uma mega evolução contra um desafiante sem ou com poucas insigniais, o maior problema fica para o final.
    Como assim?
    Os ginásios se adaptam ao número de insígnias do treinador, se ele não tiver nenhuma o desafio será mais fácil e com menos pokémons, se ele estiver batalhando pela última insígnia, será uma batalha brutal. É por isto que é muito importante ter ideia de em que ordem enfrentará os ginásios. Por exemplo, você batalhou contra Meyer numa batalha 2x2 num certo nível de força e quer uma revanche, mas você também está querendo desafiar Viola. Se você enfrentar Viola primeiramente será uma batalha 2x2, mas a batalha contra Meyer será um 3x3 num nível de força superior ao que você enfrentou antes, se você fizer ao contrário e enfrentar Meyer primeiro, ele te enfrentará numa batalha 2x2 e Viola numa batalha 3x3 num nível superior ao que se você enfrentasse ela primeiro. Mas se você já tiver sete insígnias e está conquistando a oitava a batalha será de 6x6 e é bem provável que o líder de ginásio use uma mega evolução. Por isto é muito comum diversos treinadores tentarem derrotar os ginásios mais fortes no começo, onde terão uma batalha mais fácil, o problema é que se você ainda não tiver certa experiência não conseguirá nem ganhar a primeira insígnia.
    Conseguir as insígnias é uma tarefa mais difícil do que eu esperava.
    Muitas pessoas acham que é algo simples e que qualquer um pode ter, mas não é bem assim, conquistar as insígnias é bem difícil. Além disto tudo, é importante considerar que os campos dos líderes de ginásios são feitos para testar os treinadores de diversas formas e da vantagem ao próprio líder. Mas você deve ter reparado isto batalhando contra Meyer e assistindo as batalhas da Valerie.
    Contra Meyer, haviam os pilares elétricos, mas não me lembro de ver nada diferente no campo de batalha da Valerie.
    Mesmo morando com ela e assistindo diversas batalhas você não percebeu! – surpreendeu-se Serena. – Não vou te culpar, afinal é uma mudança bem sutil, não batalhei ainda com ela, mas já estudei bastante sobre ela. Voltando ao assunto, para entrar na liga é necessário oito das dez insígnias…
    Espera ai! Oito das dez? Achei que existissem apenas oito ginásios.
    Nem isto você sabia. Acho que não me surpreendo mais com nada. – riu Serena. – Depois de conseguir as oito insígnias, o treinador terá o direito de participar da liga de Kalos, onde será realizado um grande torneio onde todos os treinadores que conseguiram este feito nesses quatro anos se enfrentarão. Há também outras formas de entrar na liga, mas isto não te interessa. No final da liga sobrará apenas um, e este será o vencedor, com isto ele terá o direito de enfrentar a Elite dos Quatro e depois a atual campeã para batalhar pelo seu posto.
    Se tornar a campeã de Kalos, parece ser bem mais difícil do que pensei.
    Ficou desanimada? – indagou Serena.
    Nem um pouco! Se fosse fácil, não teria graça! – sorriu Katy.
    Serena riu.
    Com está determinação, tenho certeza que se tornará uma ótima treinadora. – disse Serena. – Por enquanto as lições acabaram, os outros já devem estar acordando. Espero que tenha anotado tudo.
    Todos acordaram e tomamos café juntos, depois disso Serena separou tarefas para cada um, ela disse que se queríamos ficar na casa dela, teríamos que trabalhar, isto com minha exceção, pois estarei treinando. Todos se separaram e Serena me levou até Calem, para minha surpresa ele que me treinará, aparentemente Serena continua ocupada com as tarefas da família Akari.

    Katy caminhava ao lado de Calem pela mansão, ele a levava ao local de treinamento.
    Calem, na batalha de ontem pude perceber a diferença entre nossos níveis de força. Você é muito forte! É uma curiosidade minha, mas você já enfrentou a Serena?
    Muitas vezes, que eu nem me lembro mais quantas. O problema é que eu nunca consegui derrotar ela nem uma única vez. – respondeu Calem.
    Serena é tão forte assim!
    Ela é sim, mas ela ainda está na metade do caminho, ainda faltam quatro insígnias para ela. Apesar de ter muito tempo que eu a vi perdendo uma batalha para alguém, existem treinadores bem mais fortes que nós, por isso temos que continuar treinando e se superando cada vez mais.
    Mais uma coisa, Serena foi quem te treinou, mas quem treinou a Serena? Ou ela treinou sozinha?
    Na verdade tem sim alguém que treinou ela, mas o resto é segredo.
    Poxa! – reclamou Katy.
    Não fique chateada, já estamos chegando.
    Calem e Katy haviam andado bastante, eles foram para um local onde ela ainda não tinha sido apresentada, estavam num grande corredor com uma porta no fundo, ao abri-la Calem revelou onde treinariam.
    Este é o jardim traseiro da mansão. – anunciou Calem.
    O local era imenso, cheio de árvores, com um rio passando, montanhas podiam ser vistas de longe, mas o que mais chamou a atenção foi outra coisa.
    Uma cachoeira! – exclamou Katy. – Como é vocês tem uma cachoeira no jardim? Isto é incrível!
    Digamos que a geografia da cidade, colaborou para isto. Aqui em Aquacorde temos diversas montanhas e rios ao redor da cidade, então como o terreno desta mansão é enorme, a família Akari ficou com parte do ecossistema. – explicou Calem. – Já podemos começar seu treinamento?
    Katy assentiu euforicamente.
    Libere seus pokémons, primeiro treinaremos a velocidade deles.
    Katy fez como ordenado e liberou Goomy e Piplup de suas pokébolas.
    O treinamento será simples, está vendo está floresta? – indagou Calem e logo Katy afirmou. – Vocês terão que correr através dela e dar uma volta por cima da cachoeira. – Calem mostrava todo trajeto para Katy. – Verei quanto será o tempo de cada um e marcarei.
    Mas, este caminho é muito grande, como vou conseguir ver o Goomy e o Piplup?
    Você vai correr junto deles.
    Como é que é?
    Você pensou que ficaria sentada, vendo seus pokémons fazendo o trabalho duro?
    Claro que não, mas eu não esperava ter que correr tudo isto. – contou Katy.
    Não é tanto são apenas 5 quilômetros, uma maratona tem 42, então você está no lucro. – disse Calem. – Vai querer continuar treinando ou não vai?
    Claro que vou!
    Então no meu apito vocês trés começam a correr.
    Certo.
    Katy se preparou para correr para dentro da floresta ao lado de seus dois pokémons e ao som do apito, ela disparou, corria tão rápido que nem olhava para frente.
    Vou chegar ao fim do percusso rapidamente e mostrarei do que eu sou feita. – pensou Katy.
    Foi então que ela se tombou com uma árvore, caindo no chão.
    Ai, está doeu bastante. – reclamou Katy esfregando a mão na testa onde havia batido. – Tomara que não forme um galo.
    Olhe para frente e tome mais cuidado. – disse Calem, mas sua voz vinha de cima.
    Quando Katy olhou para cima viu, que Fletchinder voava por cima, a observando com uma câmera presa em seu corpo, assim como um microfone e caixas de som, era por elas que a voz do Calem saia. O Fletchinder voava por cima das árvores para acompanhar Katy e seus pokémons e Calem poder ver tudo, assim como passar conselhos.
    Katy se levantou e começou a correr de novo, mas dessa vez olhando para frente. Piplup a acompanhava correndo ao seu lado, mas as vezes ele caia sozinho e levantava novamente. Já Goomy ficava muito atrás, por causa de sua baixa velocidade. Depois de muito tempo correndo Katy terminou o percurso, junto aos seus dois pokémons.
    Estou morta de cansaço. – reclamou Katy deitando no chão.
    Calem segurava um marcador de tempo e pareceu não satisfeito com o resultado.
    Você está muito lenta!
    Como você queria que eu fosse rápida tendo que acompanhar o Goomy e o Piplup? Não estou culpando eles, mas, em geral, eles não são pokémons rápidos.
    Você está certa, mas isto não significa que eles não possam ficar rápidos. Pokémon são que nem pessoas, eles possuem atributos físicos diferentes entres si, mas treinando eles podem melhorar e aprimorar suas habilidades. Tenho certeza que com o treinamento certo, qualquer pokémon pode ficar bem rápido e poderoso. Além disto, velocidade é algo importantíssimo em batalhas, afinal se você não conseguir desviar ou acertar o adversário não ganhará de jeito nenhum.
    Certo, nos esforçaremos para ficar mais rápidos amanhã.
    Amanhã? Katherine, você confundiu as coisas. Está foi só a primeira volta, vocês continuaram correndo ao redor da cachoeira até que eu ache que tenha melhorado significantemente em suas velocidades.
    Você só pode estar brincando.

    Corri tanto que perdi a noção de quantas vezes eu corri atravessando aquela floresta, com o tempo Piplup conseguiu ficar mais rápido e cair menos, me acompanhando, mas o Goomy, continuava atrás e bem lento, sempre rastejando atrás de nós, assim diminuindo nossa velocidade. Depois de não sei quanto tempo, estava sentindo que realmente morreria de cansaço, mas Calem insistia que eu corre-se outra volta.

    Não tem mais como eu dar outra volta! Assim eu vou morrer. – reclamou Katy.
    Eu disse que você correria até que tivesse um resultado satisfatório. – lembrou Calem.
    Mas com o Goomy não vai dar, ele é um pokémon que rasteja, não tem como ele correr tão rápido. – disse Katy ofegante.
    Se rastejar não está dando certo, descobra um jeito dele ficar mais rápido. – sugeriu Calem. – Sem mais enrolação, quero outra volta!
    Dessa vez, eu vou morrer. – comentou Katy.
    Mais uma vez ela começava a correr do lado de seus pokémons, desviando de árvores e correndo o mais rápido que conseguia, mas Goomy continuava para trás, apenas rastejando de forma devagar.
    Assim nunca vamos conseguir e o Calem vai nos botar para correr até eu morrer. – pensou Katy. – Tem que haver um jeito do Goomy ficar mais rápido, pense, pense, pense. – Katy se lembrou de como Goomy ataca e desviava da maioria dos ataques. – É claro, ele não precisa correr, só precisa pular!
    Katy parou de correr, se virou para Goomy e gritou:
    Goomy, rasteja não vai adiantar, é melhor você começar a pular! Como tem muitas árvores, você pode pular de uma até a outra!
    Goomy ouviu a sua treinadora e pulou para uma árvore e dela pulou para outra, sempre se encostando nas laterais dela e impulsionado elas como se fossem o chão para ter força para pular novamente. E foi assim que Goomy continuou fazendo, estava sendo uma forma bem mais rápida que as outras vezes e depois de muito sufoco, os três finalmente chegaram na linha de chegada. Ao atravessar a linha de chegada, Katy novamente se jogou no chão e berrou:
    Daqui eu não saio! Daqui ninguém me tira!
    Calem olhou para o marcador de tempo e ficou feliz.
    Dessa vez vocês conseguiram um bom resultado.
    Então não precisaremos mais correr? – indagou Katy.
    Por hoje não, mas o treinamento está longe de acabar. Darei 30 minutos de intervalo, para descansarem.
    O tempo de descanso passou e Calem se preparava para dar outra lição a Katy.
    Dessa vez treinaremos o poder de ataque dos seus pokémons. Quanto mais um pokémon usa um movimento, mais ele vai ficando forte, então treiná-los é bem importante. – falou Calem. – Dessa vez quero que vocês ataquem a cachoeira no sentido de baixo para cima, o objetivo de vocês será fazer a cachoeira subir.
    Mas isto é contra as leis da física! – contestou Katy.
    Talvez possa ser, mas… – Calem liberou seu Frogadier. – … Se este é o problema, é só quebrar estas leis! Frogadier use Water Pulse!
    Frogadier formou uma esfera de água na palma de sua mão.
    Intensifique o poder. – A esfera foi ficando cada vez maior, até que ficou do tamanho do braço do Frogadier. – Agora, libere!
    O pokémon sapo jogou a esfera debaixo da cachoeira para cima, atravessando ela completamente e fazendo o curso da água mudar por alguns segundos e fazer ela subir. Ao ver está cena Katy ficou de boca aberta.
    Pode retorna, Frogadier. – Calem retornou seu pokémon. – Agora é sua vez. – Ele sorriu. – Claro que não espero que você consiga fazer isto hoje, mas quero que tente. Outra coisa, você também vai atacar a cachoeira, seja com socos, chutes ou qualquer outra coisa. Não deixarei ficar apenas assistindo seus pokémons.
    Calem, você é muito cruel!
    Só estou assim, porque a Senhorita Serena pediu para te ensinar direitinho, então trate de aprender.

    Depois de muito tempo socando aquela maldita cachoeira, finalmente terminamos esta parte do treino. Já estava cansada demais e os meus pokémons estavam ficando exaustos sem conseguirem lançar outros movimentos. Sabia que o treinamento não seria fácil, mas isto estava sendo coisa de louco.

    Agora que já atacou demais a cachoeira é hora dela revidar. – anunciou Calem.
    Katy não entendia o que aquilo significava.
    Comigo o seu treinamento está acabando por hoje. Agora, treinaremos defesa e resistência. Para isto vocês três ficaram horas debaixo da cachoeira resistindo.
    Você só pode estar louco, já viu como está cachoeira é forte? Não tem como ficar muito tempo embaixo dela, vamos ser esmagados. – reclamou Katy.
    Ou você fica embaixo da cachoeira ou vai embora e não volta mais. – ameaçou Calem.
    Vai ter vingança! – disse Katy com um cara emburrada.

    Dor! Foi isto que eu senti, ficando em baixo daquela cachoeira, a água parecia concreto que me acertava pela cabeça e costas. Fiquei muito preocupada que o Piplup ou o Goomy desmaiassem com a força da cachoeira, mas eles são bem durões, era mais provável que eu desmaiasse no lugar.

    Só falta mais uma parte do meu treinamento. Por favor me siga! – pediu Calem.
    E o que será o treinamento de agora? – indagou Katy.
    Te conto quando chegarmos lá.
    Katy seguiu Calem, que subiu até o topo da cachoeira, onde tinha um rio.
    O treinamento consiste em sobreviver! – Calem empurrou Katy e seus pokémons para o rio.
    O que você pensa que está fazendo! Vai nos matar! – berrou Katy tentando nadar contra a correnteza do rio que puxava para a cachoeira, onde se caíssem morreriam. – Calem, seu desgraçado!
    Katy e seus pokémons nadavam o mais rápido que conseguiam, mas não adiantou e foram puxados até a cachoeira, caindo nela.
    Aqui é muito alto! Se eu não morrer da queda! Vou morrer de infarto com todo o medo que estou sentindo! – berrou Katy ao cair pela cachoeira. – Meu Arceus do céu, me proteja!
    Antes que Katy pudesse colidir com o chão, ela sentiu que uma espuma branca havia prendido ela, assim como seus pokémons, era o Frogadier do Calem que usou sua espuma para prender os três e salvá-los. Depois de todo o desespero Frogadier os puxou para cima, ao ficar são e salva, Katy pulou em cima de Calem para bater nele.
    Você quase me matou do coração, eu vou te matar!
    Calem ria da situação e da reação de Katy.
    Tenha calma! Apenas fiz o que a senhorita Serena pediu. – contou Calem.
    E porque ela te mandou me jogar pela cachoeira?
    Era para treinar tudo que aprendeu ao mesmo tempo, tanto força como velocidade e resistência. Nadar contra está correnteza, com certeza, vai te ajudar bastante a ficar mais forte.
    Vocês dois são loucos. – comentou Katy.
    Podemos até ser loucos, mas isto seria ótimo, pois eu e a senhorita Serena teríamos algo a mais em comum e seriamos um casal de dois louquinhos apaixonados. Calem e Serena Akari. – fantasiava Calem. – De qualquer forma, o seu treinamento comigo acabou por hoje e já está na hora do almoço. Mas antes de ir, é bom você tomar um banho.


    Todos estavam na mesa almoçando e discutindo o que cada um achava importante numa batalha.
    Ataque cortantes! Tenho certeza que eles são os mais fortes! Tipo o Slash! – comentou Kuro.
    Claro que ataque físicos são bem importantes, mas ataques de longo alcance são mais eficazes, já que não é necessário alcançar o oponente. – disse Shiro.
    Ainda prefiro ataques cortantes.
    Mas e se misturarmos ataque cortantes com de longos alcance.
    Assim teríamos a combinação perfeita.
    Air Slash! – exclamaram os dois irmãos juntos.
    Acho que ataques fofos são os melhores. – disse Eve.
    Ataques fofos? – indagaram os irmãos.
    Sim, fofura é a maior força que alguém pode ter. – respondeu Eve.
    Eu concordo! E por causa disso, Bidoof é o melhor pokémon de todos! – gritou Katy levantando a mão.
    Depois do comentário de Katy, a mesa ficou em silêncio por vários segundos.
    Se não concordam, podem dizer. – Katy resolveu quebrar o silêncio.
    Todos discordaram de Katy em relação aos Bidoofs.
    Vocês não sabem o que é fofura! – reclamou Katy e depois disse de forma deprimida – A única pessoa nesta casa com bom gosto é a Mirai.
    Todos riram da garota furisode e continuaram conversando.

    Depois do almoço, Serena pediu para Kuro que ele tivesse uma batalha contra a Katy.
    Por que eu? Não poderia ser o Shiro ou o Calem? Eu trabalhei bastante esta manhã limpando a mansão. – reclamou Kuro.
    O Calem já passou a manhã inteira treinando com a Katherine, ele tem outras coisas que precisa fazer, assim como eu e sobre o Shiro, eu tenho algo um trabalho para ele mais tarde. – respondeu Serena.
    Está certo, batalharei contra a Katy para ajudá-la a ficar mais forte.
    Serena os levou até o cômodo onde havia uma arena de batalha, Eve e Shiro ficaram na arquibancada assistindo, enquanto Kuro e Katy batalhariam, William, o mordomo e médico da Serena, seria o juiz da batalha. Seria uma batalha de 2x2 ao mesmo tempo, ou seja, dois pokémons de cada lado no campo. Depois de explicar tudo Serena teve que ir resolver mais assuntos da família Akari e deixou os dois batalhando.
    Vocês ouviram as regras da senhorita Serena, podem começar! – anunciou William.
    De um lado estava Katy com Piplup e Goomy, de outro estava Kuro com Sneasel e Carnivine.
    Carnivine use Vine Whip no Piplup!
    Do pescoço do Carnivine saíram dos cipos que foram em direção ao Piplup.
    Goomy proteja o Piplup com Iron Tail!
    Goomy formou sua calda metalizada e acertou os cipos do Carnivine, o fazendo errar o ataque.
    Agora, Piplup use Icy Wind no Carnivine!
    Piplup assoprou um vento gelado que acertou o Carnivine em cheio.
    Sneasel use Quick Attack no Goomy!
    Sneasel começou a correr em rapidamente em direção ao Goomy.
    Goomy pule! Piplup acerte o Sneasel com Peck!
    Sneasel estava preste a acertar Goomy que pulou, já do outro lado Piplup preparava para acertá-lo com seu bico que estava alongado e brilhante.
    Carnivine use Vine Whip!
    Os cipos do Carnivine acertaram o Piplup antes que pudesse acertar o Sneasel.
    Goomy use Tackle no Carnivine.
    O dragãozinho ainda estava no ar e se jogou em cima do Carnivine acertando sua investida.
    Sneasel use Icy Wind no Goomy!
    Piplup use Bubble no Sneasel!
    Piplup cuspiu diversas bolhas no Sneasel que preparava para assoprar seu movimento, antes que conseguisse usar o Icy Wind por completo as bolhas do Piplup o acertaram, mas o vento frio foi assoprado. Diferente do ordenado, por causa de ter recebido as bolhas, Sneasel assoprou para o lugar errado e o ataque colidiu com Katy.
    Katy! – gritou Kuro preocupado.
    Katy! – gritaram Eve e Shiro ao verem que a garota tinha sido acertada.
    Ao correrem até ela, perceberam que o ataque do Sneasel acertou a perna esquerda da garota.
    Katy, você está bem? – indagou Kuro. – Me desculpe, não era para te acertar.
    A perna de Katherine estava muito fria.
    Está tudo bem e a culpa não foi sua. – disse Katy ao apertar o próprio peito. Ela tentou-se levantar, mas caiu. A garota furisode começou a respirar de forma ofegante, se lembrou da batalha contra a Yuki e do ataque que recebera, aquilo tinha doido muito e a dor na perna, apenas a lembrava disso.
    Katy ficava cada vez mais ofegante, parecia entrar em desespero.
    Katy, tenha calma! – disse Eve ao segurar sua mão. A respiração de Katy parava de piorar. – Muito bem agora, inspire e expire.
    Aos poucos a respiração de Katy voltava ao normal. William caminhou até a garota furisode e disse:
    Vamos ter que tratar desde ferimento, mas não se preocupe, não é nada demais. Amanhã, você já estará 100% novamente. – Ele então carregou Katy e a levou para cuidar de sua perna.

    Eu estava com medo, senti medo que tivesse que sentir aquela sensação de novo. Não foi só o Shiro que ficou preocupado com a volta da Yuki, eu também, mas diferente dele achei que tinha superado isto. Só que com o incidente desta tarde, percebi que ainda sinto bastante medo dela.

    Todos já haviam jantado, já estava ficando tarde, mas ainda tinha uma parte do treinamento que Katy ainda não tinha feito. Serena pediu para Shiro e Katy a acompanharem e os levou até um cômodo a qual eles nunca tinham entrado.
    É aqui que será a última parte de seu treinamento por hoje. – anunciou Serena ao abrir a porta.
    Do outro lado da porta, se podia ver diversas e enormes estantes cheias de livros, era um lugar gigante, a maior biblioteca que Katy e Shiro já haviam visto.
    Treinar o físico e a prática é bem importante, mas não é bom esquecer de treinar a mente também. Aqui você treinará, ou melhor dizendo, estudará para saber mais sobre os pokémons, suas habilidades, movimento, fraquezas e não apenas isto. Quero que você estude também outras matérias científicas, não relacionadas diretamente aos pokémons. – disse Serena.
    Que? Mas para quer isto tudo? – indagou Katy que parecia estar totalmente desesperada em ter que estudar.
    É impossível saber em que batalhamos teremos que enfrentar e como elas se desenvolverão. Estudar tudo isto ajudará você a bolhar mais estratégias e se adaptar a qualquer situação.
    Mas, mas…
    Nada de mas, vou pegar todos os livros que você terá que ler e já volto. – Serena saiu por pouco tempo e quando voltou, trouxe 5 livros enormes. – Aqui está apenas uma parte, mas por hoje, este cinco bastaram.
    Katherine parecia estar desesperada querendo chorar.
    Você e o Calem são muito cruéis.
    Shiro estava ali, observando tudo, mas ainda tinha uma dúvida em sua mente.
    Serena, por que me trouxe para aqui? – indagou ele.
    Eu te disse mais cedo, tinha algo que eu queria que você fizesse. Observando você nestes dias percebi que gosta de ler, estou certa?
    Sim, mas ainda não entendi o propósito disto.
    Como Katherine, não parece ser a garota mais estudiosa, tenho medo que ela vai ficar enrolando e não vai ler os livros. Quero que você vigie ela, enquanto isto pode ler qualquer coisa por aqui.
    Bem, pode ser que seja uma tarefa difícil, mas… – Shiro olhou em sua volta e viu um mundo gigante onde ele poderia ler o que quisesse. Seus olhos brilharam e ele completou. – Mas pode deixar comigo. – Terminou mandando um joinha para Serena.
    Serena assentiu e foi embora.

    Katy estava sentada no chão encarando as capas dos livros, sem nem tocá-los. Parecia estar com medo daquelas diversas páginas grandes e suas letras pequenas. Foi então, que sentiu uma batida em sua cabeça, ao olhar, viu Shiro batendo em sua cabeça com um livro.
    Ai! Por que fez isso? – reclamou ela.
    Você parecia estar no mundo da lua. Comece estudar logo, Serena me deu este trabalho e vou garantir que você estude. – respondeu ele.
    Mas é muita coisa.
    Se não quiser estudar, não estude. Mas Serena não ficará nada feliz em saber disto, talvez, ela desista de te treinar.
    Shiro, você não contaria para ela.
    Pode apostar que eu contaria. – Shiro sorriu maliciosamente. – Outra coisa, se lembre, que nesta sala, estou em uma posição superior a sua. Então, quero que me chame de Mestre Shiro.
    Mas, mas…
    Nada de mais e comece a estudar.
    Você é muito malvado, Shiro.
    Mestre Shiro. – consertou ele, olhando para ela, como se estivesse querendo mandando que ela repetisse.
    Mestre Shiro. – disse ela de forma envergonhada.
    Ao ouvir as palavras de Katy, Shiro começou a gargalhar.
    Não imagina que você realmente falaria isto, eu estava apenas te perturbando. – disse Shiro entre risadas. – Mas isto valeu a pena. Agora eu tenho isto. – Shiro retirou seu celular do bolso e apertou um botão, que acionou algo e uma voz saiu dele dizendo “Mestre Shiro” repetidas vezes.
    Não acredito que você gravou isto! Me der seu celular para eu apagar! – Katy tentou puxar o celular da mão de Shiro, mas ele levantou se braço a impedindo. Shiro morria de rir da garota furisode.
    Acho que vou mostrar esta gravação para todo mundo amanhã. – ameaçou ele.
    Não faça isso! Apague logo esta gravação! – berrou Katy.
    Com os berros da Katy e a risada de Shiro, uma pessoa que estava na biblioteca, antes mesmo deles entrarem, os ouviu e foi até os dois. Quando chegou lá ela exclamou:
    Katy!
    A garota furisode olhou para ver quem era e viu…
    Mirai!
    Ela segurava um livro embaixo de seus braços e não estava usando seu uniforme escolar como nas últimas vezes que Katy a tinha encontrado. Vestia um vestido branco com detalhes em dourado.
    O que está fazendo aqui? Achei que a biblioteca estivesse. – indagou Katy.
    Estou lendo, adoro ler histórias de diferentes tipos. – respondeu Mirai.
    Só para saber, você ouviu alguma coisa antes de nos ver? Tipo algo constrangedor que eu disse?– indagou Katy preocupada.
    Mirai negou, mas então Shiro colocou o gravador para tocar outra vez e “Mestre Shiro” se repetiu várias vezes.
    Shiro, o que você pensa que está fazendo? – berrou Katy.
    Mostrando para Mirai o que você disse, achei que ela gostaria de ouvir. – respondeu Shiro rindo
    Seu idiota!
    Ao assistir toda aquela cena Mirai começou a rir.
    Está vendo, ela achou engraçado. – riu Shiro.
    Você ainda me paga! – prometeu Katy.
    Está certo, te dou um doce mais tarde.
    Eu não sou a Eve.
    Shiro riu, foi até Mirai e disse:
    Acho que ainda não nos apresentamos, eu me chamo Shiro, você se chama Mirai, certo?
    Ela assentiu.
    Você gosta de ler? Que tipo de livro você gosta?
    Amo ler tanto quanto amo Bidoofs. Os livros que eu mais gostam são de contos de fada, mas adoro também livros de fantasia, aqueles com pessoas superpoderosas lutando ao lado de seus pokémons. Eu acredito que essas pessoas com poderes existem e você, acredita?
    Shiro se lembrou de algo que não queria, ficou paralisado.
    Shiro?
    Desculpe, me perdi nos meus pensamentos. – Shiro havia voltado ao presente. – O que importa não é se eu acredito ou não, e sim no que você acredita. De qualquer forma, eu acredito sim.
    Mirai pegou na mão de Shiro e indagou com os olhos brilhantes:
    Isto é sério? Achei que eu fosse a única que acreditasse.
    Estou falando a verdade e pode ter certeza que existem mais pessoas que pensam o mesmo.
    Os pequenos olhos da Mirai brilhavam cada vez mais, ela se aproximou de Shiro e o abraçou.
    Mirai, o que está fazendo? – indagou Shiro sem entender o motivo.
    Ainda abraçada com ele, Mirai olhou para cima, viu o rosto de Shiro e indagou ao sorrir:
    Quer ser meu amigo?
    Shiro riu e disse:
    Não estava esperando por isto, mas eu aceito.
    Ela soltou Shiro e pulou de felicidade.
    Ebá! Fiz meu primeiro amigo!
    Primeiro amigo? Mirai, você não tem outros amigos? – indagou Shiro preocupado.
    Não tenho nenhum, todos me acham estranha por estar sempre lendo ou falando de Bidoofs e batalhas. – respondeu ela com uma voz triste.
    Mas e eu? – indagou Katy. – Achei que fossemos amigas.
    Não é que eu não queira ser sua amiga, na verdade quero muito, mas me esqueci de perguntar. Katy, quer ser minha amiga? – indagou Mirai.
    Sua boba, nos já somos amigas. – respondeu Katy.
    Os olhos de Mirai parecia duas grandes estrelas.
    Estou muito feliz! Agora tenho dois amigos!

    Passamos um bom tempo conversando e brincando com Mirai, ela podia ser bem mais nova que nós dois, mas era uma garota muito experta e o melhor de tudo amava Bidoofs tanto quanto eu. Foi bem divertido estas horas que passamos juntos, mas como já estava ficando tarde, Mirai teve que ir embora para dormir. Fiquei bem feliz de conversar com ela, mas, ao mesmo tempo, fiquei triste ao saber que ela não se dava muito bem com as outras crianças, quando não estou com ela, Mirai parece ser bem tímida e não deve conseguir conversar direito com os outros, principalmente com as outras crianças chamando ela de estranha. Fiquei bem surpresa ao ver ela conversar com Shiro tão facilmente, nem comigo ela se abriu tão rápido. Depois dela sair da biblioteca, sobraram apenas a mim e Shiro. Mesmo estando tarde ele me obrigou a estudar, as vezes, Shiro pode ser tão assustador quando a Yuki. Horas foram passando, li centenas de páginas, com o tempo fiquei com sono Shiro disse que deveríamos dormir, pois já estava bem tarde, mas eu tinha pegado o ritmo e resolvi continuar estudando… mas eu adormeci.

    A garota furisode dormia com a cabeça em cima do livro que estava lendo. Shiro a viu e pensou:
    Eu sabia que isto aconteceria.
    Ele foi até ela e tentou acordá-la, mas ela não saia de seu sono. Shiro olhou para o rosto de Katy e pensou:
    Quando ela está dormindo, até que é fofa.
    Ele a pegou e a colocou em suas costas, a carregando.
    Se não consigo acordá-lo, levarei até a sua cama. – pensou Shiro.
    O garoto saiu da biblioteca carregando Katy em suas costas e a levou até o quarto dela, a deitando em sua cama.
    Entrega feita. – pensou Shiro, mas então ele sentiu um arrepio em suas costas.
    Sentiu como se alguém com a intenção de matar estivesse o atacando pelas costas, ele virou rapidamente, mas não viu ninguém. Olhou para janela e ela estava aberta, foi até ela e a fechou.
    Está sensação de agora… Deve ter sido coisa da minha cabeça. – pensou Shiro ao retirar-se do quarto.
    Do lado de fora, nem Shiro nem Katy sabia, mas Yuki observava a mansão com seu olhar gelado.
    Parece que minha intuição estava certa. Shiro Bretteur, se bem que este não é seu verdadeiro nome, você será uma presa interessante e divertida. – pensou Yuki
    Perto da Yuki, mas em um lugar que ela vesse, uma Zubat também observava a mansão, especialmente a Katy.

    Na floresta de Santalune, Chasseur estava com outros integrantes do seu grupo de mercenário, chamado de os Caçadores. Eles estavam trabalhando em alguma máquina.
    Mauser, quando isto ficará pronto? – indagou Chasseur a um homem de cabelos grisalhos e barca branca.
    Demorará alguns dias. – respondeu Mauser.
    Vocês são muito lentos! – reclamou Chasseur.
    Quer tentar fazer? – indagou Mauser.
    Engraçadinho, você sabe que esta não é minha área. – respondeu Chasseur.
    E qual é a sua área? Ficar mandando nos outros enquanto não faz nada?
    Exatamente e isto é muito cansativo. Vocês são um bando de idiotas que se não estiverem na minha supervisão não sabem fazer o trabalho de forma certa. – reclamou Chasseur. – Não é mesmo, Weatherby e Stutzen?
    Weatherby era um homem baixo e jovem, possui longos cabelos ruivos e olhos negros. Já Stutzen era demasiado alto, tinha um corte curto e era loiro, já seus olhos azuis.
    Vocês dois, deixaram a Zubat escapar! Tinham noção de quanto o empregador pagaria por ela!
    Me desculpe senhor! Mas ela era muito rápida! – disse Weatherby.
    Além disto ela vou para dentro da floresta, com todas estas árvores é difícil de enxergar. – completou Stutzen.
    Eu estou pouco me importando para isto! Quando eu encarreguei os dois de cuidar dela, era porque vocês são dois dos meus melhores mercenários. Resolver as merdas relacionadas aquela desgraçada do Zubat era trabalho e vocês dois e vocês me decepcionaram! – berrou Chasseur.
    Sentimos muito! Não vamos mais decepcionar o senhor. – disseram os dois.
    Acho bom, seria uma pena se tivesse que cegar um olho de cada.

    Cidade de Aquacorde, 17 de outubro de 2016.

    Mais um dia amanheceu e tive que passar por todo aquele treinamento de novo. Foi um sufoco, principalmente ter que nada contra a correnteza, tenho certeza que se o Frogadier não conseguir nos pegar alguma vez, morrerei de medo antes da queda. Ontem, não entendia muito, o motivo de eu fazer o treinamento junto dos meus pokémons, mas acho que já estou entendo, estou me sentindo mais próxima dos meus pokémons. Depois disto tudo, tive outras batalhas em dupla com Kuro, batalhar com os dois pokémons ao mesmo tempo é mais difícil, mas isto está fortalecendo o nosso trabalho em grupo e estou começando a pensar de forma mais ágil. Por fim a noite chegou e Serena me colocou para estudar novamente na biblioteca com Shiro e assim como ontem Mirai estava lá.

    Eu estava pensando em algo. – disse Mirai.
    E o que seria? – indagou Katy.
    O aniversário da Serena está chegando e eu gostaria que ela tivesse uma festa. – respondeu Mirai.
    O aniversário dela está próximo? Quando será? – indagou Shiro.
    É daqui dois dias, no dia 19. – respondeu Mirai.
    Tão perto assim! – exclamou Katy.
    Serena não gosta de preocupar as outras pessoas, por isto nunca comemora seu aniversário, muitas vezes ela de tanto trabalhar, esquece do próprio aniversário. Eu gosto muita da Serena, ela é uma pessoa muito boa e gentil! Eu sempre quis mostrar minha gratidão a ela, mas a vejo muito pouco, por isto gostaria de dar uma festa para ela no dia. – explicou Mirai. – Mas eu nunca tive coragem de pedir a ninguém que me ajudassem, e eu sozinha não consigo fazer isto, por isto, peço que vocês me ajudem, por favor!
    Está muito próximo, mas pedindo mais ajuda, talvez conseguiremos. O que acha, Katy? – falou Shiro.
    Claro que vamos te ajudar, Mirai. Além disso, estou devendo muito a Serena também. – disse Katy.
    Muito obrigada, Katy e Shiro!
    Tem mais alguma coisa, que quer que façamos? – indagou Shiro.
    Não. – respondeu Mirai.
    Certeza? Você tem algum sonho, Mirai? – perguntou Katy.
    Tenho, mas ele é impossível.
    Não diga isto, se você se esforçar nada é impossível.
    Mas este meu sonho é sim.
    Qual o seu sonho?
    Antes eu disse que queria ser uma treinadora bem forte, mas não quero ser uma treinadora qualquer, eu quero me tornar a campeã de Kalos. Mas sou bem fraca para conseguir isto, existem treinadores muitos fortes como a Serena, eu não teria nenhuma chance contra eles. Afinal os fortes sempre derrotam os mais fracos. – respondeu Mirai.
    Não diga isto! Você ainda é bem nova, mas se, se empenhar nisto, com certeza se tornará um ótima treinadora.
    Mas nunca ficarei tão forte quanto os outros.
    Mirai, se você pensar assim nunca ficará mesmo. Não podemos desistir de nossos sonhos quando temos dificuldades, eu quase fiz isto, mas fico feliz que encontrei o que precisava para continuar. Não há nenhum problema em ser fraco, o que importa não é ser mais forte, mas sim sempre se levantar quando cairmos. Eu sou fraca e mesmo não tendo a visto batalhar, só de saber que o Calem nunca a derrotou, sei que a Serena é bem forte, se eu batalhasse com ela agora, perderia feio. Mas nós duas, com certeza, nos enfrentaremos na liga, nós duas queremos alcançar o topo. Infelizmente apenas uma conseguirá, mas eu não desistirei até o fim. Se eu conseguir derrotar a Serena na liga, provarei que as pessoas fracas podem derrotar as fortes, com isto você não terá mais desculpas para não seguir o seu sonho.
    Mas a Serena é muito forte.
    Eu sei que é, mas mesmo sendo fraca, eu posso ficar mais forte e superá-la. – Katy estendeu sua mão para Mirai e levantou o dedo mindinho. – Se você ainda está na dúvida, eu te prometerei derrotar a Serena e ganhar a liga, assim você seguirá seu sonho e nós batalharemos no futuro.
    Mirai fitou os olhos de Katy e estendeu a mão levantou o mindinho.
    É uma promessa. – disse Mirai ao apertar o dedo mindinho de Katy.
    Depois de três segundos com os mindinhos cruzados, a promessa foi feita.
    Katy VS Mirai, tenho certeza que será uma batalha incrível! – disse Shiro. – Mas eu tenho certeza que Mirai ganharia.
    Ei! – reclamou Katy.
    Mirai e Shiro riram.

    Depois que Mirai foi embora, eu voltei a estudar, passei algumas horas lendo, as vezes, estava achando entediante, mas Shiro ficava pegando no pé para eu continuar a estudar. Mesmo, não gostando muito, estava me acostumando a esta rotina, sentia que estava me tornando uma treinadora melhor. Depois de algum tempo, Shiro disse que deveríamos ir dormir e dessa vez o ouvi e fui para meu quarto, não queria causar problemas como ontem, o fazendo me carregar até minha cama. Ao chegar no meu quarto, tomei um banho e vesti meu pijama. Já pronta para dormir, percebi que minha janela tinha se aberto sozinha ao ir até ela para fechar encontrei algo.

    É um Zubat! – exclamou Katy. – O que você está fazendo aqui na minha janela?
    A Zubat observava Katherine pela janela e não esperava que fosse ser encontrada. Ao ver que seus planos de observá-la escondida tinham falhados, ficou desesperada voando de um lado para o outro.
    Tenha calma não farei nada com você.
    A Zubat parecia se acalmar.
    Você é um Zubat bem nervosinho.
    A Zubat mexeu a cabeça como se estivesse negando algo.
    O que foi?
    A Zubat voava fazendo acrobacias como se fossem um jogo de mímica.
    A entendi, você não é um Zubat e sim uma Zubat.
    A Zubat mexeu a cabeça de cima para baixo concordando.
    Quer dizer que somos duas garotas. Queria saber, o porquê de esta voando pela minha janela, esta é a primeira vez que nos conhecemos, não é?
    A Zubat negava.
    Já nos conhecemos?
    Ela mexeu a cabeça de forma positiva e depois usou Double Team para se multiplicar.
    Você é aquela Zubat que me atrapalhou de capturar o Bidoof lendário e depois fugiu.
    A Zubat sorriu colocando a língua para fora como se estivesse dizendo “Você me pegou”.
    Eu deveria estar furiosa com você, mas me diga. Na floresta você parecia preocupada com algo, o que era?
    A Zubat ouvia algo um pouco longe e voou para longe de Katy, como se estivesse se despindo.
    Tem quer ir embora?
    A Zubat assentiu.
    Então vamos conversar depois.
    A Zubat mexeu a cabeça rapidamente concordando.
    É uma promessa!
    A Zubat concordou e vou para longe.

    Cidade de Aquacorde, 18 de outubro de 2016.

    Tive outro dia intenso de treinamento, ele passou rapidamente, já estava me acostumando a esta rotina. Contei a todos sem segredo sobre o aniversário da Serena e que Mirai queria fazer uma festa, todos concordaram em ajudar. Quando a noite chegou e Serena me deixou com Shiro na biblioteca para estudar, todos nós reunimos para preparar as coisas para o dia seguinte.

    Acho que com isto, tudo estará pronto e perfeito para a festa de amanhã. – comentou Katy. – Vai dar tudo certo, Mirai.
    Sim. – sorriu Mirai.
    Adoro festas, principalmente os doces. – disse Eve.
    Todo mundo gosta, mas o mais importante vai ser ver a senhorita Serena assoprando uma vela, isto me deixa exitado. Ai, meu Arceus, estou muito ansioso! – exclamou Calem.
    A sua perversão chega a ser esquisita as vezes. – disse Kuro.
    Diz isto, apenas porque nunca viu a senhorita Serena nua. – contestou Calem.
    Você já viu? – indagou Kuro.
    Não, mas quando ela finalmente perceber que está apaixonada por mim, tenho certeza que … – Calem sentiu um soco em sua nuca, era muita dor que ele chegou a gritar. – Quem fez isso?
    Ao olhar Calem viu Eve, ela que o havia socado.
    Não me importo que seja tão pervertido em relação a Serena, mas se controle tem crianças aqui. – reclamou Eve.
    Minhas sinceras desculpas, eu me emocionei um pouco.
    Mudando de assunto, para não haver mais surpresas de descobrirmos o aniversário de alguém um dia antes, por que não compartilhamos nossos aniversários. – sugeriu Eve.
    É uma boa ideia, eu começo! Nasci no dia 07 de fevereiro do ano 2000, pelo menos, foi isto que me disseram nas ruas, se quiserem me dar um presente, eu aceitaria fotos da senhorita Serena. – disse Calem.
    Isto seria nojento. – comentou Eve. – Bem, eu nasci no dia 02 de maio do ano 2000.
    Meu aniversário é no dia 21 de agosto, nasci no ano 2000, também. – disse Kuro.
    01 de abril de 1999. – falou Shiro.
    Eu nasci em 17 de dezembro de 1999. – disse Katy.
    Eu não sei quando nasci. – disse Mirai. – Na me lembro de nada antes de ser adota pela Serena.
    Não se preocupe Mirai, mesmo não sabendo quando você nasceu, seu aniversário é o dia em que chegou na mansão, se lembra da data? – indagou Calem.
    Sim, foi no dia 11 de novembro de 2006.
    Agora sabemos o aniversário de todos aqui, isto nos deixa mais próximos. – comentou Eve.
    Por algum motivo, Shiro começou a rir sozinho.
    O que foi, irmão? – indagou Kuro.
    Eu sou o mais velho daqui, estou no topo da hierarquia! – exclamou Shiro.
    Isto não tem nada a ver, se formos olhar numa hierarquia, eu seria a superior, pois… – Eve foi interrompida.
    Cale-se! Depois da Mirai, que não conta por ainda ser uma criança e a minha protegida, você é a última na hierarquia!
    O Kuro é mais novo do que eu! – contestou Eve.
    Mas ele já é meu escravo, então não conta. – disse Shiro.
    Ei! Não sou seu escravo! – contestou Kuro.
    Você é meu irmão mais novo, ou seja, sinônimo de escravo.
    De onde você tira estas logicas? – questiono Kuro.
    Deixem isto de lado, como estou no topo vocês devem me tratar como Mestre Shiro.
    Ao ouvir aquilo, os olhos da Katy arregalaram.
    Claro que não! – berraram Eve e Kuro juntos.
    É! Claro que não! Eu nunca, já te chamei, assim! – disse Katy tentando desfaçar o fato.
    É mesmo, eu tenho algo que prove ao contrário. – ameaçou Shiro ao retirar seu celular do bolso.
    Você não faria isto.
    Mas eu já fiz. – Shiro apertou o botão do gravador e a gravação começou a repetir “Mestre Shiro” várias vezes com a voz da Katy.
    Todos se assustaram e surpreenderam com a gravação.
    Ele me enganou e me fez dizer isto! Eu não queria falar, mas ele me induziu! – Katy tentava se explicar.
    Oh Mestre Shiro, me diga como posso fazer a senhorita Serena me chamar de Mestre Calem? – indagou Calem.
    Ele acabou de dizer Mestre Shiro! – exclamou Kuro.
    Agora tenho mais duas pessoas para minha coleção. – Shiro riu.
    Oh droga! – reclamou Kuro.
    Só falta você Eve, me chame de Mestre Shiro.
    Nunca!
    Eu te dou cinco doces se você fizer.
    Oh Mestre Shiro, protetor dos doces!
    Tão rápido assim. – surpreendeu-se Katy.
    Agora tenho a gravação de todos vocês, só falta a da Serena. – disse Shiro.
    O que você disse? Nunca deixarei a senhorita Serena dizer isto! – Calem segurou Shiro pela camisa enquanto berrava.
    Calma, eu estava só brincando tudo, isto é apenas uma brincadeira. – explicou Shiro, Calem então o soltou. – Agora ouçam! – Shiro apertou um botão no seu celular e um som remixado parecendo uma música com as vozes de todos repetindo “Mestre Shiro. – Esta é Mestre Shiro song.
    Ele caiu na gargalhada. Mirai que via tudo, ria bastante também.
    Na próxima vez, vamos fazer a Campeã Mirai song. – disse Shiro para a garota.
    Sim! – sorriu Mirai.

    Foi uma noite bem divertida, tenho certeza que guardarei muitas memórias delas. Eu também estava bastante ansiosa para o dia seguinte, todos os aniversários que eu estive foram na minha casa em Laverre com minhas irmãs, era a primeira vez que eu comemorava o aniversario de algum amigo. Depois de tudo, voltamos para os quartos, quando cheguei no meu, a janela estava aberta e a Zubat voava pelo lado de fora. Fui até ela e começarmos a conversar

    Você realmente voltou! – sorriu Katy. – Amanhã eu e meus amigos vamos dar uma festa de aniversário para nossa amiga, você já esteve em alguma festa de aniversário?
    A Zubat mexeu a cabeça descordando.
    Quer vir para festa amanhã? Tenho certeza que vai gosta.
    A Zubat negou.
    Não quer vir?
    Ela negou novamente.
    Não pode vir?
    A Zubat confirmou com a cabeça.
    Por quê?
    A Zubat tentou, mas não conseguiu explicar.
    Não tem problema, vamos conversar sobre outras coisas.
    A Zubat parecia eufórica, batia as asas cada vez mais rápidas.
    Você é bem apresadinha. – Katy riu.

    Cidade de Aquacorde, 19 de outubro de 2016.

    Finalmente o dia da festa havia chegado. Na hora do almoço, todos arrumaram a mesa com diversos doces, salvados e um bolo. Arrumaram tudo enquanto Serena trabalhava, quando ele voltava para almoçar, foi recebido com uma surpresa por todos.
    Feliz aniversário! – disseram todos quando Serena entrou pela porta.
    Katy, Eve, Calem, Kuro, Shiro, William, todos os empregados da mansão e as crianças estavam lá parabenizando Serena. Ela sentiu um calor no peito, estava emocionada, ninguém tinha feito nada para ela como naquele dia. Seus olhos se encheram de água, mas ela não chorou. Limpou os olhos e sorriu.
    Muito obrigada a vocês!
    Sabia que você gostaria, meu presente é um beijo! – Calem pulou em cima da Serena que o chutou na barriga o fazendo cair. – Era apenas brincadeira. – disse contorcendo de dor.
    Serena, este presente é para você. – disse Mirai entregando um caixa.
    Serena agradeceu e abriu a caixa, ao ver por dentro, viu um colar prateado com um pingente em formato de coração numa coloração alaranjada lembrando o fogo.
    Todos juntamos um pouco para poder comprar para você, espero que tenha gostado. – disse Katy.
    Eu amei. – sorriu Serena. – Muito obrigada! Vocês são incríveis!
    Agora está na hora de cantar parabéns, tenho pouco tempo aqui e quero tirar muitas fotos. – disse uma mulher de cabelos loiros e olhos verdes, vestindo uma camisa regata branca e segurando uma câmera nas suas mãos.
    Viola! – exclamou Serena surpresa.
    Já faz um tempo que não nos vemos, não é mesmo.
    Como sabia que hoje era meu aniversário? – indagou Serena.
    Eu chamei ela. – respondeu William.
    E eu tive que aparecer! Suas doações ajudam bastante as escolas e creches em Santalune, além disso nunca me esquecerei da nossa batalha, tive que reforma o ginásio depois dela. Como não posso ficar pro muito tempo, vamos cantar logo os parabéns e tirar muitas fotos. – completou Viola.
    Obrigada, William. Obrigada, Viola. – sorriu Serena.
    Este sorriso merece uma foto!
    Vamos logo cantar este parabéns! Quero comer o bolo! – exclamou Jean, uma das crianças.
    Está certo, vamos cantar. – disse Eve.
    Todos cantaram os parabéns e Serena assoprou as velas do bolo, estava completando 17 anos. Depois disto, tiraram muitas fotos, Viola pediu para todos se juntarem e tirou uma foto de todos juntos, Katy e os outros, assim como as crianças.
    Esta foto ficou linda. – comentou Viola, mas então seu celular tocou e ela atendeu. – Aló? Alexa! Desculpe, eu sei que temos um compromisso, mas tinha que vir para o aniversário da Serena. Está bom, já estou indo para ai. – Viola desligou o celular. – Tenho que ir, minha irmã está precisando de mim. Foi muito bom rever vocês! Depois eu mando as fotos.
    Até mais, Viola! – despedi-se Serena, assim como os outros.
    Antes de ir, a líder de ginásio foi até Katy e disse:
    Katherine, eu esperarei ansiosamente a nossa batalha. Tenho grandes esperanças em você, não me decepcione.
    Não vou, até mais.
    Até a próxima, pessoal!
    Viola saiu da mansão e foi embora de volta para Santalune. Os outros continuaram lá comemorando o aniversário da Serena, conversando e se divertindo. Mirai puxou o furisode de Katy e a camisa de Shiro queria conversar com os dois.
    Katy e Shiro, muito obrigada por terem me ajudado a fazer esta festa! Tenho certeza que Serena gostou. – sorriu Mirai. – Tem algo que eu queria dar para cada um de vocês por serem meus amigos e me ajudarem.
    Mirai entregou o chaveiro do Bidoof que ela tinha para Katy.
    Katy, você ama Bidoof tanto quanto eu. Este chaveiro é muito especial para mim, quero que guarde com muito carinho.
    Mirai, eu não posso aceitar.
    Mas eu quero que ele fique com você, é meu presente para você. – Mirai sorriu.
    Está certo, vou guarda com muito cuidado e carinho. – disse Katy.
    Shiro, para você, eu não achei o que te dar…
    Não precisa me dar nada, você é uma ótima garota, isto já é suficiente.
    Mas você foi meu primeiro amigo, por isto quero te dar um presente. Não conseguir achar nada, então pensei apenas em uma coisa. Por favor feche os olhos. – Shiro fez como pedido e Mirai beijou a sua bochecha. – É a primeira vez que beijo alguém, então se lembre com carinho. – disse Mirai vermelhinha.
    Shiro sorriu e retribui o beijo, beijando a bochecha de Mirai.
    Pode apostar que lembrarei.
    Eu queria um beijo. – comentou Jean, uma das crianças, observando de longe. – Quer me dar um beijo, Keiko.
    Como se alguém quisesse te beijar, seu idiota! – reclamou a garota.
    A festa continuou e todos se divertiam bastante, mas então uma visita inesperada chegou. Alguém estava gritando do lado de fora chamando pelo nome “Serena Akari”. Todos foram até fora para ver o que era e se depararam com um homem de cabelos cinzas e olhos azuis cristalinos.
    Serena Akari, estava ansioso para te conhecer. – disse ele.
    Quem é você? – questionou Serena.
    Como fui rude, esqueci de me apresentar. Eu me chamo Ludger Bleu.

    Naquele momento não poderíamos saber, mas aquele fatídico encontro mudaria tudo e os dias felizes…
    Acabariam.


    Leave a Reply

    Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

  • Copyright © 2013 - Hyperdimension Neptunia

    Pokemon Zoroark Worlds - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan