• Posted by : Dark Zoroark 24 de jul de 2016

    Existem o certo, o errado e o divertido



    Rota 4, 12 de outubro de 2016.

    Depois de saírem de Lumiose a caminho da Cidade de Aquacorde, Katy e seus amigos haviam chegado na Rota 4. Esta era uma rota florida com flores de diversas cores, podia se ver muitas cercas vivas que formavam labirintos e no centro da rota existia uma grande fonte de água, onde na ponta havia duas estátuas de Horsea que liberavam água acertando a estátua de um Clamperl que se localizava no meio da fonte, ela se chamava de Fonte Perle. Ao lado da fonte havia um pequeno centro pokémon onde as pessoas poderiam passar a noite.
    Já estava na metade de do dia, Katy e os outros haviam acabado de chegar perto da Fonte Perle.
    Que fonte linda! – admirou Katy.
    Querem tirar uma foto de lembrança? – indagou um homem gordo que segurava uma câmera fotográfica.
    Não precisa. – respondeu Katy.
    Evelyne não gostou da reposta da amiga e se intrometeu na conversa:
    Claro que precisa!
    É sério Eve, não preciso de uma foto. – insistiu Katy.
    Eu também estou falando sério. Se podemos tirar uma foto com os amigos em momentos felizes devemos tirar. Vamos logo tirar esta foto. – Eve segurou a mão de Katy e a puxou para a fonte onde poderiam tirar uma foto.
    Os dois irmãos riram da situação, mas não se moveram. Eve percebeu a imobilidade dos dois e os chamou:
    Vocês dois vão ficar só olhando? Venham logo!
    Eles deram de ombros e seguiram para a fonte.
    Muito bem! A foto vai ficar linda. – disse o homem gordo ao tirar a fotografia.
    Eve seguiu em direção do homem e pegou a foto, no momento em que ela viu a foto seus olhos brilharam.
    Está perfeita! – exclamou ela.
    Os outros resolveram olhar a foto também estava muito bonita. A fonte com plano de fundo e os quatro na frente. Eles estavam alinhadas da esquerda para direita nesta ordem, Kuro, Katy, Eve e Shiro sendo que as duas garotas estavam em plano a frente dos garotos.
    Que bom que gostaram. Agora o pagamento, a foto custa 100 pokédollars. – falou o homem gordo.
    Que preço absurdo! Com este dinheiro posso comprar uma máquina fotográfica! – reclamou Shiro.
    Eu vou comprar! – disse Eve.
    Os outros três se surpreenderam com a fala de Eve, ela nem havia pensado duas vezes ou negociado com o fotografo. Ele foi logo entregando o dinheiro para o homem que desapareceu depois de receber o dinheiro.
    Você não acha que foi um exagero ter comprado esta foto por tudo isto? – indagou Katy.
    Eu sempre quis ter uma foto com meus amigos, então aquele preço não foi nada demais por uma coisa que eu vou guarda para sempre com muito carinho. – respondeu Eve.
    Logo depois, a barriga de Eve roncou.
    Estou com fome. – sorriu Eve envergonhada.
    E pensar que você é uma princesa. – disse Shiro.
    Então, aonde vamos almoçar? – indagou Katy.
    Que tal no centro pokémon? Além de podermos passar a noite nele se quisermos, os centros pokémons disponibilizam a cozinha deles para quem quiser usar. Vamos para lá que eu cozinharei para vocês. – sugeriu Kuro.
    Por algum motivo Shiro pareceu assustado.
    Que ótima ideia! Acho que você já tinha comentado que cozinhava. Estava ansiosa para poder provar sua comida. – revelou Eve.
    Então vamos ao centro pokémon! – exclamou Kuro.


    Eles estavam sentados em uma mesa de quatro lugares dentro do centro pokémon. Enquanto os outros aguardavam Kuro cozinhava. Eve estava muito ansiosa para poder provar a comida de seu amigo, ela sempre adorava provar novas coisas.
    Aqui está a comida! – Kuro colocou um grande prato em cima da mesa. – Este é o Filé a lo Kuro.
    A comida parecia deliciosa, Eve já estava salivando. Todos se serviram e começaram a comer.
    Obrigada pela comida! – A princesa colocou uma garfada na própria boca.
    Ao sentir o gosto da comida, era horrível, Eve se sentiu mal e cuspiu. Katy parecia que estava sendo estrangulada enquanto tentava engolir aquilo que era chamado de Filé a lo Kuro.
    O que foi? A comida está gostosa? Por que cuspiu? – indagou Kuro inocentemente.
    Kuro, eu não queria dizer isto, mas… – Eve sentiu uma dor em sua perna esquerda.
    Ela percebeu que a dor vinha de um chute debaixo da mesa e quem chutava ela era Shiro. Ele estava comendo a comida do Kuro sorrindo, mas através de seus olhos era possível ver a dor que sentia cada vez que mastigava. Shiro nada disse apenas olhou para Eve com um olhar assustador e ela entendeu muito bem o recado, se virou para Kuro e disse:
    A comida está uma delicia! Mas eu me precipitei e não assoprei ela, acabei queimando minha língua e no susto cuspi. É uma pena ter perdido um pouquinho dessa comida deliciosa.
    Que ótimo! Mas da próxima vez não se esqueça de assoprar. – comentou Kuro. – E você Katy, o que achou?
    Katy ainda estava tentando engolir a primeira garfada. Quando Kuro fez a pergunta Katy tomou um susto, antes de responder sentiu que alguém a estava chutando na perna, ele viu que era Shiro que a olhava de uma forma assustadora do mesmo jeito que olhou para Eve, Katy entendeu a mensagem perfeitamente.
    Está… muito… gos…gos…gostosa. – gaguejava Katy enquanto mentia.
    Muito obrigado! Fico feliz que todos gostaram, podem comer sem se preocupar, pois tem muito mais, vou lá na cozinha trazer o resto. – Kuro caminhou para a cozinha se afastando da mesa.
    Quando ele já não podia mais ser visto Eve olhou para Shiro e indagou:
    Eu achei que Kuro sabia cozinhar, como você sobrevive comendo esta comida horrível?
    Desde que conheço Kuro ele gostava de cozinhar, mas a comida dele sempre foi horrorosa. Mesmo seguindo o livro de receitas a risca por algum motivo o gosto sempre saia, bem, do jeito que vocês acabaram de experimentar. Sempre tento evitar ao máximo que ele cozinhe, mas com o tempo consegui me acostumar a engolir a comida dele sem sentir a maior parte do gosto, mesmo assim doí bostante comer a comida dele. – explicou Shiro.
    Kuro, possui poderes inimagináveis, se deixarmos ele ser levado pelo lado negro da força, esta coisa que ele chama de comida poderia matar a todos! – exclamou Eve.
    Não é para tanto. Além disso, Katy pude perceber que você é horrível em mentir. – comentou Shiro.
    Não sou nada. – reclamou Katy.
    Então quando ele voltar, elogie mais a comida. – desafiou Shiro.
    Eu desisto.
    Peço para vocês duas terminarem o prato e se Kuro perguntar disserem que a comida está ótima. Por favor!
    As duas pareciam receosas em concordar com aquilo, mas se deram por vencidas.
    Tem uma coisa que eu não entendo. A comida do Kuro é horrível, não, chamar aquilo de comida é um insulto a culinária. O que eu quero dizer seja lá o que é aquilo tem um gosto muito ruim, como Kuro não percebe isto? – questionou Eve.
    Por motivos que estão além da capacidade humana compreender, Kuro gosta da própria comida. – respondeu Shiro. Foi então que ele viu Kuro voltando da cozinha. – Agora vai chegar o Round 2 se preparem.
    Eve e Katy engoliram seco.

    Terminamos de comer a gororoba do Kuro. Sofri muito comendo aquilo! Fiquei com pena da Katy e da Eve, se foi difícil para mim que já me acostumei, imagina para elas. Me lembro que primeira vez que eu comi a comida do Kuro entrei em depressão e fiquei sem comer nada por vários dias, pois tinha desenvolvido uma fobia a qualquer tipo de alimento. Ainda bem que essa fobia durou pouco e eu voltei a comer. Apesar de estar com pena das duas, foi engraçado ver elas comendo a gororoba do Kuro pela primeira vez, acho que nunca me esquecerei da expressão das duas.

    Finalmente acabei! – comemorou Eve que estava chorando de felicidade.
    Ao ver as lágrimas da princesa, Kuro ficou preocupa e indagou o motivo.
    Não foi nada, estou chorando apenas porque sua comida era muito gostosa e acabou. – mentiu Eve.
    Se quiser eu faço mais para você. – ofereceu Kuro.
    Não! – gritou Evelyne. – Quer dizer, eu já estou cheia o suficiente, além do mais, esta comida deliciosa só deve ser saboreada em momentos especiais.
    E você Katy, quer que eu faça mais.
    Eu… quero… quer dizer… não. Já estou… muito cheia. – gaguejou Katherine.
    Tudo bem, então vou lavar os pratos. – Kuro foi para a cozinha.
    Shiro fitou as duas meninas e comentou:
    Eu não sei se fico mais assutado com o quanto ruim Katy é em mentir ou o quanto bom Eve é.
    Obrigada. – agradeceu Eve.
    Isto não foi um elogiou. – disse Shiro que se levantou da mesa. – Ajudarei o Kuro a lavar os pratos.
    Eu também vou. – disse Katy.
    Se não pode ir contra, junte-se a eles. – comentou Eve.
    Shiro riu do comentário de Eve. Algo que chateou a garota.
    Por que está rindo?
    É que eu nunca pensei que veria uma princesa lavando a louça. – respondeu Shiro.
    Tem uma primeira vez para tudo.

    Lavar a louça juntos foi bem divertido, por mais estranho que isto pareça. Acabou que me diverti como não me divertia a muito tempo. Eve não sabia lavar nada, era realmente a primeira vez dela lavando a louça, mas mesmo quebrando pratos e se sujando toda de água e sabão, estava se divertindo, ela é uma princesa bem diferente do que eu imaginava. Katy lavava os pratos de forma rápida e eficiente, mas Eve acabava sempre atrapalhando ela. Foi bem divertido, acho que não me sentia assim faz muito tempo, talvez desde que eu e o Kuro nos separamos da Alice.

    Depois de terem lavado tudo, os quatro decidiram que era melhor passar o resto do dia por aquela rota e na noite dormir no Centro Pokémon para continuar o caminho a rumo Aquacorde no dia seguinte.
    Eles haviam saído do Centro Pokémon e estavam na frente do Fonte Perle. Katy estava treinando seus pokémons, enquanto os outros três assistiam.
    Goomy use Iron Tail! Piplup desviu e use Icy Wind!
    Goomy pulou em direção do Piplup já com sua cauda preparada para acertar o pokémon pinguim, mas Piplup conseguiu desviar contra atacando com seu sopro gelado.
    Goomy use Protect!
    Uma barreira semi-invisível se formou na frente do Goomy que conseguiu defender o movimento do Piplup.
    Agora, Goomy use Iron Tail! Piplup use Peck!
    Mais uma vez a cauda do Goomy foi projetada, ao mesmo tempo o bico do Piplup começou a brilhar e se alongar o tornando muito maior. Goomy girou sua cauda para acertar o Piplup que pulou em direção ao mesmo colidindo seu bico na cauda de Goomy criando um grande impacto que causou uma pequena explosão. Poeira voou para todos os lados e quando ela finalmente dissipou os dois pokémons estavam machucados, mas em pé.
    Vocês estão indo muito bem! – elogiou Katy.
    Piplup se virou para Katy e estufou o peito orgulhosamente. Goomy andou para frente do Piplup tapando a visão de sua treinadora e acenou com a cabeça para a mesma. Piplup ficou com raiva do pokémon dragão e o empurrou para atrás, ficando assim na sua frente. Goomy fez o mesmo e voltou para frente, Piplup continuou o ciclo vicioso, e este ciclo se repetia.
    O que deu nesses dois? – indagou Kuro que assistia tudo sentando num banco ao lado de Eve e Shiro, um pouco longe do treino.
    Acho que estão competindo pela atenção da Katy. – respondeu Eve.
    A paciência de Katy, já estava ao limite, ela caminhou para os dois pokémons e os afastou.
    Chega! Nos somos companheiros! Não é para brigarmos, entenderão?
    Goomy e Piplup estavam com as costas viradas um para o outro.
    Vamos, peçam desculpas e façam as passes.
    Goomy se virou para o Piplup e mexeu a cabeça como se tivesse pedindo desculpas. Piplup ouviu o dragãozinho, mas permaneceu imóvel.
    Piplup, está na vez.
    Piplup não queria ter que pedir desculpas e continuo de costas para Goomy.
    Piplup, por favor.
    Depois de ouvir aquelas palavras, Piplup tinha que engolir seu orgulho e pedir desculpas, ele não poderia recusar um pedido desses de sua treinadora. Deixando o próprio orgulho de lado Piplup se virou e pediu desculpar a Goomy.
    Muito bem, agora vamos continuar treinado, temos que dar os nossos melhores e ficarmos muito mais fortes juntos!
    Enquanto Katy treinava, os outros três estavam sentado no banco fazendo outras coisas, Kuro estava limpando sua espada, Shiro estava lendo e Eve se preparava para comer um doce que tinha comprado em Lumiose antes de sair, ela realmente sentia a necessidade de comer este doce, afinal o gosto da comida de Kuro ainda assombrava sua boca. Eve estava levando o doce até sua boca quando repentinamente uma pequena criatura verde surgiu e comeu o doce que ela comeria.
    Evelyne parecia perplexa, apenas viu um vulto verde passar pelos seus olhos e seu doce sumir de sua mão, antes que pudesse raciocinar soltou um grito de desespero e raiva.
    Você comeu meu doce!
    Ao ver direito o Pokémon era um Budew, que estava rindo da cara da Eve.
    Vem aqui, seu Budew ladrão de doces, eu vou ter minha vingança! – Eve pulou em cima do Budew que desviou e soltou esporos amarelos em cima dela, a fazendo ficar paralisada. Budew deu gargalhadas da princesa que tentava se mexer e não conseguia.
    Kuro e Shiro não estavam entendendo nada e antes que pudessem fazer algo, os cipos do Budew que ficavam juntos em sua cabeça se abriram revelando duas manchas, uma vermelha e outra azul na ponta de cada cipó. Com os cipos ele pegou a espada de Kuro e a mochila de Shiro e a mochila de Bidoof da Katy que estava no lado do banco onde Kuro, Shiro e Eve estiveram sentados.
    Espero volte aqui! – reclamou Kuro que o perseguiu, mas foi acertado pelos esporos amarelos ficando com o corpo paralisado.
    Shiro correu atrás do Budew, mas tomou cuidado para não ser acertado pelos esporos amarelos que eventualmente Budew soltava, aquele era o Stun Spore. Tudo aquilo acontecia e Katy nem percebeu, pois estava focado no seu treino, mas então Budew passou correndo em sua frente enquanto segurava sua mochila de Bidoof, ao ver aquilo Katy se desesperou e gritou:
    O que você está fazendo com a minha mochila linda?
    Antes que pudesse fazer alguma coisa Shiro, passou por sua frente, ele seguia o Budew, Katy então fez o mesmo e correu atrás do pokémon broto, deixando Goomy e Piplup para trás.


    O Budew correu para os campos floridos, Shiro o seguia e Katy também. Foi então que o Budew entrou em um dos labirintos de cerca viva, o garoto tentou acompanhar-lho, mas os diversos caminhos do labirinto o fez perder o Budew de vista. Katy seguia Shiro e acabou se encontrando na mesma situação. Os dois estavam presos dentro do labirinto, sem saber como voltar nem para onde o Budew tinha ido.
    Parece que estamos presos. – comentou Shiro.
    E pior, ainda perdemos o Budew de vista. Afinal o que aconteceu na Fonte Perle? – indagou Katy.
    Para falar a verdade, eu não entendi muito bem, antes que eu pudesse perceber o Budew já estava lá segurando nossas coisas. – respondeu Shiro.
    Por que o Budew levou nossas coisas? Tem alguma ideia?
    Não, mas ele parecia estar se divertindo enquanto nos fazia de bobos.
    Acho que ele deve ter visto a fofura na minha mochila do Bidoof e resolveu roubá-la.
    Eu acho que não foi isso. E mesmo que tenha sido, não explicaria o motivo dele ter levado minha mochila e a espada do Kuro. – contestou Shiro.
    Você deve ter razão.
    Os dois continuaram caminhando em silêncio por aquele labirinto de cerca viva.
    Shiro, eu sempre acabo causando problemas e deixando vocês preocupados… – disse Katy.
    O que está querendo dizer?
    Eu queria me desculpar por tudo que fiz você passar e queria agradecer também por continuarem me apoiando.
    Não estou entendendo, você pode ter causados alguns problemas, mas se não fosse por você muitas coisas poderiam ter acontecido de forma piores. Lá na Rota 14 se você não tivesse feito o que fez, tudo poderia ter sido pior e em Lumiose, se você não tivesse desaparecido, não encontraria o Piplup. O que eu estou querendo dizer é que mesmo quando você faz besteira, acaba dando tudo certo no final. Além do mais, eu não fiz nada para merecer seu agradecimento, nem na Rota 14 nem em Lumiose.
    Você está errado. Quando nos conhecemos pela primeira vez, eu estava sendo perseguido por um bando de Ekans, você apareceu e conseguiu me salvar. Além disso, quando sair em minha jornada eu estava ansiosa, mas com medo e até um pouco confusa, mas acabei encontrado você, Kuro e a Eve que estão ao meu lado me dando suporte. Eu estou muito feliz que consegui fazer amigos que nem vocês, por isso muito obrigada, Shiro! – Katy sorriu.
    Ao ouvir as palavras e ver o sorriso da garota, Shiro sorriu.
    Ainda bem que você é horrível em mentir, se não acharia que você estaria mentindo.
    Ei! – reclamou Katy.
    De qualquer forma, obrigado!


    O efeito da paralisia já tinha passado, Eve e Kuro estavam no centro pokémon, assim como Goomy e Piplup, eles esperavam o retorno de Katy e Shiro.
    Espero que o Shiro e a Katy consigam pegar aquele desgraçadinho do Budew! Eu quero minha espada de volta! – gritou Kuro.
    É bom para aquele Budew sumir, pois se eu ver ele novamente, vou ter sérios assuntos a tratar com ele. Ninguém come meu doce e vai embora, impune. Tem muitas coisas malvadas que planejo fazer com ele, hehehehe. – Eve riu maleficamente.
    Se os problemas são os doces, eu posso fazer alguns para você. – sugeriu Kuro.
    Não!… Não seria justo você ter todo este trabalho por causa daquele brotinho ladrão de doces. Então, não precisa fazer nada. – mentiu Eve com medo dos doces de Kuro.
    A enfermeira Joy que estava ali, ouviu a conversa dos dois sobre o Budew e perguntou:
    Por acaso um Budew roubou vocês?
    Sim, ele comeu meu doce e roubou nossas coisas. – respondeu Eve.
    Então ele continua fazendo essas coisas. – disse a Enfermeira Joy.
    Como assim? – indagou Eve.
    Este Budew que vocês viram é bastante conhecido por aqui. Ele apareceu aqui há algum tempo e desde de então começa pregar pegadinhas e roubar coisas das pessoas que passam pela Rota 4. É realmente um grande problema.
    E por que ele faz isso?
    Vai saber, já tentamos capturar ele várias vezes, mas ele sempre acaba fugindo usando o Stun Spore.
    Não se preocupe dessa vez vamos pegar ele e fazer ele devolver tudo que roubou. Incluindo o meu doce.
    Mas ele não havia o comido? – indagou Kuro.
    Isto não vem ao caso.


    Katy e Shiro continuavam presos no labirinto a procura do Budew.
    Estamos presos, assim nunca vamos encontrar ele. – comentou Katy.
    Eu tive uma ideia. – disse Shiro.
    Shiro pulou na cerca viva e começou a escalar ela até chegar ao topo.
    Daqui poderemos ter uma ótima visão. Conseguiremos sair do labirinto e encontra o Budew. – explicou Shiro. – Pode subir.
    Katy fitou Shiro que estava em cima da cerca via a uns 3 metros do chão.
    Eu não vou subir ai, é muito alto.
    Pare de reclamar e suba logo, só assim conseguiremos sair daqui.
    Não, eu prefiro ficar presa aqui para sempre do que subir ai em cima, cair e morrer.
    Não precisa exagerar tanto. Se você cair daqui deve quebrar no máximo uma ou duas pernas, mas não vai morrer. – brincou Shiro.
    Assim você só me faz querer mais ficar aqui embaixo. – reclamou Katy.
    Vamos Katy, suba, nem é tão alto. É só imaginar a cerca viva de roupas íntimas que tá tudo bem.
    Eu acho que você está confundido as fobias!
    Não importa, apenas suba. – pediu Shiro.
    Não.
    O garoto de cabelo castanho claro estava sem paciência, se Katy não queria subir, ele teria que força ela. Shiro pegou uma pokébola que estava guardada no bolso de seu casaco e apertou o botão do meio liberando sua Meowstic.
    Meowstic use Psychic na Katy e traga ela para cima da cerca viva.
    Ei, espera!
    As orelhas da Meowstic se abriram revelando dois olhos vermelhos que brilharam, ao mesmo tempo o corpo de Katy ficou rodeada por uma aura azul. Então, Katy começou a ser levantada pelo Psychic da Meowstic, seus pês saíram do chão e num piscar de olhos ela estava fitando o rosto de Shiro na mesma altura, só que ele estava em cima da cerca viva e ela flutuava do lado dele. Ao olhara para baixo Katy se assustou e gritou:
    Me tira daqui! Socorro! Eu vou cair e morrer!
    Tenha calma! A Meowstic não vai te derrubar. – Shiro tentou acalmar Katy.
    Não importa só me coloca no chão! – Katy se mexia no ar desesperada.
    Tem certeza, se a Meowstic te soltar agora, você vai se machucar.
    Eu não quero que ela me solte, eu quero que ela me coloque no chão!
    Tá certo … Meowstic jogue a Katy em cima da cerca viva. – ordenou Shiro.
    O que? – exclamou Katy assustada. – Não faça isto!
    Já era tarde demais, Meowstic jogou Katy com seu Psychic em cima da cerca viva e a soltou. Como Katy estava assustada demais, ela deu um passo em falso e cairia, mas Shiro a segurou pela mão e puxou para perto de si mesmo. Assim os dois estavam seguros em cima da cerca viva.
    Foi bem divertido! – riu Shiro.
    Só para você! Nunca mais faça isso! Achei que morreria. – reclamou Katy.
    Adrenalina de vez em quando é bom. – disse Shiro.
    Acho que já tive adrenalina suficiente para o resto de minha vida.
    Agora, vamos procurar o Budew ou uma saída. – Shiro olhou ao redor e viu não muito longe o pokémon broto. – Achei o Budew.
    Ele apontou para onde tinha o visto.
    Vamos, atrás dele. – Shiro já estava preparado para correr por cima das cercas vivas até o Budew, mas foi interrompido por Katy.
    Eu tenho medo de andar aqui por cima. Fico pensando que vou cair.
    Não é hora para isto, Katy.
    Mas Shiro, meu corpo não quer se mover. Você sabe que eu tenho medo de altura.
    Está certo. – Shiro segurou a mão de Katy. – Você confia em mim?
    Confio. – respondeu Katy.
    Ótimo, é só não soltar a minha mão aconteça o que acontecer.
    Repentinamente Shiro começou a correr puxando Katy pela mão que gritava com medo de cair.
    Assim você vai estourar meus tímpanos! Se está com tanto medo feche os olhos e imagine que está no chão, sã e salva.
    Katy fez como sugerido e sentia menos medo, mas, mesmo assim, continuava assustada.
    Não queria te assustar, mas é bom você pular o mais alto conseguir quando eu mandar. – sugeriu Shiro.
    Como assi… – Antes que pudesse terminar a pergunta ouviu Shiro gritando “Agora!”.
    Sem nem pensar duas vezes Katy pulou o mais alto que conseguia, ela abriu os olhos sem querer e viu que estava pulando de uma cerca viva para a outra, algo que a assustou muito. Os dois aterrissaram em segurança em cima de outra cerca viva.
    Já saímos do labirinto. Vamos descer. – disse Shiro.
    Você está querendo matar a gente! Por que não pediu para a Meowstic para nos ajudar a passar de uma cerca viva para outra? – indagou Katy.
    Porque não seria tão divertido se ela o fizesse.
    Acho que você tem que rever seus conceitos de diversão.
    Com a ajuda da Meowstic os dois desceram da cerca viva para o lado de fora do labirinto no campo florido, podia-se ver o Budew não muito longe, ele estava próximo de diversos arbustos onde ele escondia as coisas que tinha roubado.
    Eles seguiram até o Budew que riu ao ver os dois. Ele não fugiu apenas ficou encarando os dois.
    O que fazemos? Tem algo de errado, por que ele está tão feliz em ver a gente? – questionou Shiro.
    Eu não sei, mas eu o vi colocando minha mochila do Bidoof dentro daquele arbusto e eu vou pegar ela de volta. – contou Katy.
    Ela caminhou até o arbusto que estava no lado do Budew e agachou para pegar sua mochila, no momento que fez isto, Budew se jogou na frente dela e usou o Water Sport, um movimento que ele libera um grande quantidade de água ao redor de seu corpo para deixar ataques do tipo fogo mais fracos. Como Katy estava muito próxima dele ela se molhou completamente como o golpe, ao ver a reação da garota Budew apenas riu.
    Isto me deixou com um pouco de raiva. – disse Katy.
    Eu avisei que tinha algo de errado.
    Não precisa me lembrar.
    Budew olhou para os dois e riu.
    Por que ele está rindo? – indagou Katy.
    Acho que ele está se divertindo. – respondeu Shiro. – Já entendi, tudo que Budew fez até agora foi apenas por diversão.
    Diversão? Não acha que roubar as pessoas por diversão é errado?
    Claro que é, mas eu acho que o Budew, estava querendo apenas brincar com a gente, estou certo Budew? – indagou Shiro ao pokémon broto que se aproximou e usou o Water Sport o molhando junto.
    Até que isto é divertido. – riu Katy.
    Não enche. – disse Shiro.
    O que faremos? – indagou Katy.
    Eu tive uma ideia. – Shiro aproximou-se novamente do Budew. – Se tudo isto que você fez foi apenas para se divertir, por que não temos uma batalha? Tenho certeza que será muito divertida. Se eu vencer, você devolve nossas coisas, o que acha?
    Budew concordou com a cabeça.
    Muito bem, vamos nessa Meowstic use … – Shiro foi interrompido, pois sua outra Pokébola que estava guardando abriu sozinha e dela saiu um Croagunk que começou a mostrar os músculos. – Tá de brincadeira comigo. Croagunk, você quer batalhar?
    O Croagunk continuou mostrando seus músculos.
    Acho que isto foi um sim. – Shiro fitou sua Meowstic. – Tudo bem, se você não batalhar dessa vez?
    A Meowstic virou o rosto como se estivesse com raiva.
    Não fique assim, o Croagunk batalha bem menos que você, deixar ele fazer uma batalha não vai fazer nenhum mal. Se quiser eu faço cafuné em você.
    Ela voltou seu rosto para o Shiro e concordou com a cabeça, depois ela caminhou para o lado de seu treinador e curvou o pescoço pedindo o cafuné.
    Você realmente adora isso, não é? – Shiro esfregou a mão dele em cima da cabeça da Meowstic fazendo o cafuné. Meowstic miou de felicidade – Pronto, agora pode retornar.
    Shiro apertou o botão de sua pokébola e fitou o Croagunk.
    Está preparado? – indagou Shiro.
    Croagunk mostrou os músculos mais uma vez e bateu em seu peitoral como se estivesse dizendo que sim.
    Budew se prepare, pois já vamos começar! Croagunk use Feint Attack.
    O punho de Croagunk ficou negro, ele correu em direção a Budew para socá-lo, Budew pulou para desviar, mas Croagunk fez o mesmo o acertando e o jogando longe. Budew levantou e lançou uma bola verde de energia, era o Energy Ball.
    Croagunk vá de encontro ao Budew, receba o dano e use Revange.
    Croagunk correu em direção a Budew e abraçou a bola verde recebendo todo o dano, rapidamente continuou, sua mão brilha mais uma vez e ele acerta o Budew de baixo para cima o arremessando no ar com o dobro de força do ataque. Budew ainda no ar, virou-se para Croagunk e usou seu Stun Spore arremessando esporos amarelados em cima do pokémon sapo que não teve tempo para desviar e recebeu o ataque em cheio ficando com o efeito de paralisia.
    Croagunk não deixe ele acerta ele cair no chão o mande de volta para ar com Feint Attack!
    Budew ainda estava no ar e preste a acertar o solo, mas então Croagunk correu para baixo do Pokémon broto e preparou para acertar seu punho no Budew mais uma vez, mas então o efeito de paralisia se ativou e Croagunk não conseguiu se mexer. Budew aproveitou a oportunidade e usou o Mega Drain, lançando um cipó criado de energia em cima do Croagunk que recebeu completamente o ataque, com isto parte do dano recebido do Croagunk foi curado no Budew que alcançou o chão e encarrou o Croagunk enquanto ria, algo que deixou o pokémon sapo nervoso.
    Croagunk não preste atenção nas provocações dele, tente usar o Feint Attack mais uma vez!
    Croagunk correu em direção ao Budew mais uma, sua mão ficou negra e em um movimento muito rápido acertou o Budew que foi jogado longe.
    Croagunk não deixe ele descansar, use o Feint Attack novamente!
    Mais uma vez a mão do Croagunk ficou negra, ele correu em direção ao Budew para acertar, mas sofreu o efeito da paralisia e ficou imóvel, então Budew rapidamente usou sua Energy Ball mais uma vez.
    Croagunk não deixe te acerta, use o Mud Bomb!
    A bola de energia estava preste a acertar o Croagunk, mas ele conseguiu cuspir um grande bomba de terra acertando a bola de energia e causando uma explosão que o arremessou para longe acertando o chão e se machucando mais. Budew olhou para o Croagunk e riu, o pokémon sapo estava com raiva do pokémon broto, mas não conseguia se levantar.
    A não, Croagunk está completamente envergonhado. O único jeito de deixar ele pior seria molhando seu orgulho com água. – disse Shiro. – Ops, escapuliu.
    Ele reclama de mim, mas também não é tão bom em mentir. – pensou Katy.
    Budew sorriu e seguiu em direção ao Croagunk, ao chegar ao seu lado ele usou o Water Sport para o molhar assim como seu orgulho. Ao ser molhado os danos de Croagunk começaram a ser reparados, algo que causou estranhamento ao Budew, mas antes que pudesse fazer algo recebeu um Feint Attack no rosto que o arremessou para longe, Croagunk estava mais uma vez de pé.
    Não está entendendo o que aconteceu? O Croagunk possui uma habilidade chamada Dry Skin, ou seja, toda vez que ele é molhado por água ele se recupera dos seus danos. Isto mesmo, Budew, eu te enganei!
    Budew fez uma cara de chocado.
    Vamos nessa Croagunk! Use Mud Bomb seguido de Feint Attack!
    Croagunk encheu a boca e cuspiu a bomba de terra que acertou o Budew, antes que pudesse se preparar para contra-atacar, Croagunk já estava em sua frente com um sorriso maléfico preparado para o acertá-lo com seu punho. O pokémon sapo então acertou seu punho no Budew o nocauteando.
    Muito bem Croagunk, ganhamos esta batalha! – Croagunk mostrou os músculos mais uma vez. – Tá certo, você é forte. Agora retorna para a pokébola.
    Shiro retornou seu Croagunk.
    Parabéns Shiro, foi uma batalha incrível! Não sabia que você era tão bom em batalhar.
    Não é para tanto, mas foi uma batalha divertida. Não é Budew? – indagou Shiro para o Budew que já estava em pé rindo novamente.

    Eles estão demorando. – reclamou Eve deitada no sofá do centro pokémon.
    Calma Eve, daqui a pouco eles já devem chegar. Além do mais está rota parece ser bem segura, então não tem o porquê se preocupar. – disse Kuro.
    Eu não estou preocupada, apenas mal posso esperar para arrancar meu doce de dentro daquele Budew! – exclamou ela ao se levantar.
    Me lembre de nunca comer nenhum doce seu.
    A porta do centro pokémon se abriu, era Katy e Shiro que estavam voltando com o Budew, todos os estavam carregando sacos grandes cheio de coisas.
    Kuro, toma sua espada. – Shiro a arremessou para seu irmão.
    Eu senti tanto a sua falta. – disse Kuro abraçando a espada dele.
    Enfermeira Joy, aqui está todos os objetos que o Budew roubou. – anunciou Katy mostrando os sacos que trouxeram.
    A enfermeira Joy agradeceu e disse que devolveria aqueles objetos para os donos.
    Eve viu o Budew ao lado de Shiro e foi para cima dele gritando:
    Agora você vai se ver comigo seu brotinho de bosta! Eu vou abrir sua barriga e arrancar me doce dela!
    Shiro tomou um susto ao ver Evelyne atacando o Budew e empurrou ela para longe.
    Ai, isso doeu! Por que me empurrou? – indagou Eve.
    Você estava querendo matar o Budew, tive que protegê-lo. – explicou Shiro.
    Por que você está protegendo esse ladrão de doces!
    Porque ele tem uma ótima razão para roubar os doces.
    E que razão seria essa?
    Se divertir.
    Você só pode estar brincando, eu vou enfiar minha mão na boca dele e pegar meus doces agora! – gritou Eve. Então Katy segurou sua amiga que queria ir para cima do Budew.
    Tenha calma! Eu sei que não é uma boa justificativa, mas o Budew não é mal. – disse Katy.
    Ao ver toda aquela cena Budew estava gargalhando.
    Tá rindo do que? Se broto de bosta! – exclamou Eve.
    Ele está apenas se divertindo. – disse Shiro que se aproximou do Budew com uma pokébola. – Budew, eu não sei bem o motivo, mas acabei gostando de você. Se você quiser, gostaria de viajar com a gente? Tenho certeza que será muito divertido.
    Budew sorriu para Shiro e usou seu Water Sport, molhando o garoto de cabelo castanho completamente. Budew riu bastante da cara de Shiro e apertou o botão da pokébola, se capturando.
    O que acabou de acontecer? Shiro capturou o Budew? – indagou Kuro.
    Acho que foi ao contrário. – disse Katy.
    Shiro! O que você pensa que está fazendo capturando este ladrão de doces, você tem ideia de como os doces são preciosos para mim. Este Budew maléfico roubou e comeu meu doce, isto não tem descul… – Eve foi interrompida por Shiro que entregou para ela um doce.
    Eu tinha guardado este doce de Lumiose para comer depois, mas já que você quer tanto pode comer. – disse Shiro.
    Os olhos de Eve começaram a lacrimejar, logo ela pulou em cima de Shiro o abraçando.
    Muito obrigada Shiro! Vou ficar te devendo esta pelo resto da minha vida! Oh grande Shiro, meu grande doador de doces.
    Me solta! – gritou Shiro corado.
    Todos riram bastante.
    Já está ficando tarde, acho que vou prepara o jantar. – disse Kuro.
    Ao ouvir essas palavras o desespero tomou o coração de todos, Shiro pegou sua pokébola e arremessou.
    Vá Budew! Roube toda a comida e não deixe Kuro tocar nela! – exclamou Shiro.

    Resolvemos passar a noite no centro pokémon e partir no outro dia. Este tinha sido um dia bem divertido, muitas coisas aconteceram. Nuca imaginaria que capturaria um Pokémon dessa forma, o Budew com certeza será um parceiro bem legal. Ter conhecido Katy e Eve foi ótimo, as duas são incríveis, estes dias estou me sentindo muito mais feliz que antes.

    Naquele momento eu estava acreditando que poderia deixar meu passado para trás e viver um lindo futuro, mas o que eu não sabia é que em poucos dias eu me lembraria da escuridão do meu passado que eu rejeitava em aceitar. Eu me lembraria daquela pessoa que eu já fui um dia e que nunca mais queria ser …
    Mas esta pessoa sempre estaria dentro de mim. 


    Leave a Reply

    Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

  • Copyright © 2013 - Hyperdimension Neptunia

    Pokemon Zoroark Worlds - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan